acompanhe nas redes

  • junho 21, 2018

    Sober: transtornos psicológicos, ajuda ao próximo e Demi Lovato

    Hoje, 21 de junho de 2018, Demi Lovato apresentou sua música nova intitulada “Sober”, que fará parte de sua sétima discografia ainda sem data de lançamento. O que a internet não esperava com esse lançamento é que a música seria um belo soco no estômago. Um desabafo de alguém que infelizmente não aguentou a pressão da vida e se rendeu novamente ao uso de substâncias químicas, que a gente sabe que faz mal. Esse relato nos deixou preocupados.
    Demi Lovato tirando fotos com fãs
    imagem: reprodução/demilovato.tumblr.com
    Para quem não conhece a história da cantora, vou resumir: Demi é atriz e cantora desde criança. Iniciou sua carreira aos nove anos no programa “Barney e seus amigos”. Tornou-se mundialmente famosa graças ao filme “Camp Rock” da Disney em 2008 e em seguida, lançou seu primeiro álbum “Don’t Forget”. Em 2010, a Demétria anunciou que se internaria voluntariamente em uma clínica de reabilitação para adolescentes, onde permaneceu durante seis meses. Depois disso, lançou outros cinco álbuns, foi jurada do The X Factor americano, virou sócia da clínica que realizou seu tratamento, dentre outras coisas.

    No dia 15 de março era comemorado o dia de sobriedade da Demi, pois nessa data, em 2011, ela oficialmente teria se considerado sóbria do vício do álcool e das drogas. Não sabemos a qual vício Demetria se refere na música, mas o desabafo desperta um olhar crítico e mais empático sobre assunto conhecido e bastante falado ultimamente: depressão, ansiedade e afins.

    Segundo a Organização Mundial de Saúde, depressão é o mal do século. Isso a gente já está cansado de saber! A doença, considerada um transtorno emocional, é provocada por uma intensa tristeza e desânimo, as vezes sem motivo aparente. Já a ansiedade é um sentimento comum do sistema nervoso que funciona como um mecanismo de defesa. Esta se torna patológica quando atrapalha o indivíduo nas atividades cotidianas e rotineiras, que não oferecem perigo algum, a não ser o criado pelo cérebro. Procurar ajuda profissional é uma ótima opção, já que ambos distúrbios são curáveis. O tratamento requer paciência, perseverança. O apoio de entes queridos pode torná-lo mais rápido e eficaz.

    Esse assunto é delicado, no entanto quanto menos a gente fala mais pessoas sofrem caladas, mais pessoas tiram suas vidas, mais a sociedade vai ficando doente. A gente precisa falar sobre transtornos psicológicos. A gente precisa cuidar dessas pessoas, a gente precisa ficar atento a quem vive com a gente. A gente nunca vai saber o que a outra pessoa está passando, nem mesmo quando estamos numa situação parecida, pois cada um interpreta e reage de uma maneira diferente. E, não é porque a pessoa se mostra sempre sorridente que ela não está sofrendo de depressão, ou algo parecido. Essas doenças são silenciosas e muito pessoais, não é como uma conjuntivite ou uma gripe que são aparentes. Por isso é importante sempre falar com alguém. Não importa se um amigo ou um profissional especializado, guardar sentimentos é um péssimo hábito que pode, no futuro, trazer problemas maiores.


    Sober nos lembra que todos somos humanos, todos estamos propensos a cair. Que somos falhos, e as vezes não somos fortes o suficiente para suportar o peso da rotina. As vezes não estamos satisfeitos e não damos a devida atenção as respostas que o nosso corpo nos dá e acabamos nos machucando por medo de falar ou de pedir ajuda. É importantíssimo buscar ajuda. Existe tanta gente boa no mundo, a gente não precisa carregar nossa mochila sozinho, a gente pode dividir e aliviar o peso da caminhada. Sempre tem alguém! 

    Pode ser que não esteja tão visível assim, pode ser que mentalmente tenhamos criado uma barreira enorme para o mundo ou que seja difícil aceitar, mas sempre vai existir alguém disposto a te ajudar. Disposto a segurar na tua mão, te ajudar a superar os obstáculos, a se reerguer. Não pense que está sozinho, pois nunca estamos. Quanto antes você perceber e aceitar, melhor. A caminhada acompanhada já é difícil, então porquê colocar um fardo maior nos seus ombros? Não faça isso!

    A internet está preocupada com o relato da cantora. Infelizmente, de longe, não podemos fazer muito a não ser mandar uma mensagem de apoio e carinho. Demi, a gente está com você! Sabemos que a fase é complicada, você deve estar se culpando pela recaída porém como disse “but I’m only human” e a gente te entende. A trajetória de recuperação de um vício é pra sempre, é dolorida, é longa. Esperamos que se recupere logo, que encontre forças e apoio de quem você ama pra passar por esse ciclo novamente. Nós, fãs, estaremos aqui pra te dar suporte sempre que precisar.

    E, se você está passando por um momento delicado como este, saiba que alguém estará disposto a te ajudar, então fale! Minhas redes estão à disposição para quem quiser bater um papo. Não desanime!


    0 comentários:

    Deixe um comentário