acompanhe nas redes

  • março 14, 2019

    Eu tenho muitos trabalhos, socorro! #6

    Semana passada fez um mês que moro na Europa e, sei lá, a ficha ainda não caiu. Tudo é tão diferente, mas, ao mesmo tempo, parece que é uma viagem de férias, coisa rápida, já já estou de volta em casa. No fundo sinto que esse diário vai ser só pra falar do quanto sinto saudades de casa e pra relembrar de tudo que me faz falta do meu país (que seria mais amado se não fosse vocês sabem quem) hehe.
    imagem: dh_creative
    Conviver com pessoas completamente desconhecidas tem me feito aprender a ser uma pessoa melhor. Sim, pois morando com família a gente é uma pessoa com um certo nível de liberdade e morar com quatro completos desconhecidos é um pouco aterrorizante simplesmente pelo fato de você se dar conta que seu irmão que tem a mania de mastigar fazendo o maior barulho possível é um anjo e que tem gente com hábitos bem piores (e que cê não pode falar ou fazer nada pra não estragar a paz da casa né?).

    Aprendo todo dia o quanto sou uma versão da minha mãe: as comidas com tempero parecido; os hábitos de limpeza; o jeito de dobrar roupa. É impressionante que tenho todos os trejeitos dela e nunca tinha me dado conta.

    As aulas começaram com força total: tenho vários trabalhos e já é possível observar uma diferença considerável no ensino daqui pro do Brasil. Aqui a comunicação é muito mais prática que teoria. Os laboratórios ficam disponíveis o tempo todo e temos muita autonomia. Para gravar na rádio, são cinco estúdios individuais com computador e os equipamentos e você faz tudo sozinho (já falei isso semana passada né, mas é que realmente eu tô em pânico com isso).

    Essa diferença de ter muitos trabalhos, pouca prova e quase nada de matéria é uma coisa completamente diferente. Fui acostumada com um sistema de avaliações de matéria + prova e aqui não é bem assim. Tem avaliações, lógico, mas é uma principal e é tipo no final do período, lá pra Junho. Há alguns professores que passam outras avaliações ao longo do semestre pra compor a nota ou então preferem passar trabalhos. Dei a sorte (ou má sorte?) de todos os meus professores passarem trabalhos e tenho pelo menos cinco trabalhos por disciplina. Isso me assusta um pouco, mas vai dar certo.
    essa igrejinha é evangélica e  é colada no prédio onde tenho aulas práticas. achei muito charmosinha, mas nunca vi movimento :/
    Me matriculei numa disciplina de design e comunicação e olha, que doideira!!! O  professor é um designer completamente fora da caixinha que já começou a trazer reflexões de o que que estou fazendo da minha vida e o que eu posso fazer pra começar a ter sucesso agora. O momento até é bom pra tais reflexões só que paranoias pra outro momento, faz favor prof!

    O propósito maior de ter vindo pra cá foi estudar, ter uma experiência diferente e além da que tenho de jornalismo daí. Sei que preciso aproveitar a oportunidade, conhecer a cidade, explorar os lugares mas têm feito tão frio que tudo que tenho feito é viver em casa fazendo trabalhos, assistindo séries ou inventando comidas diferentes. Não me arrependo de nada que não fiz. E tá tudo bem também não sair tanto pois a grana é curta e como já disse, meu propósito inicial é estudar o que vier além disso é lucro.

    (mas vou me cobrar de sair mais, nem que seja depois das provas ou só pra dar uma volta no shopping, tá?)


    0 comentários:

    Deixe um comentário